jump to navigation

O Jarbas e você 2 - outubro - 2007

Posted by Marcos Reis in Autoria própria, O homem e Deus.
trackback

.

jarbas.JPG 

                Imagine que num feriado qualquer você está viajando de carona com seu amigo Jarbas, curtindo a paisagem de um belo dia de céu azul, e conversando sobre qualquer besteira. Então, passando por um posto policial o carro de vocês é parado numa blitz. O policial rodoviário (não muito sóbrio, mas impondo bastante autoridade), após verificar a documentação, fala pro Jarbas:

– Veja bem meu amigo, toda esta estrada aqui não passa de uma grande ilusão! Estas curvas são uma mentira e só fazem a sua viagem demorar bem mais. Fora o enjôo que podem causar! Ignore a ilusão da estrada e dirija como bem entender! Pode ter certeza de que assim a viagem vai ficar bem mais curta, rápida e agradável.

                Assistindo a cena você acha graça do blá-blá-blá, mas ao mesmo tempo fica chocado com a cara de pau com que cuidadosamente o guarda explica sua teoria. Você olha pro Jarbas tentando compartilhar uma risada irônica, mas fica paralisado ao perceber que ele está concordando com a cabeça e esboçando um leve sorriso, não um sorriso irônico, mas algo como “eureka!”. Mais patética que a afirmação do guarda, só o fato de que o Jarbas está acreditando! Agora as curvas e as placas passaram a ser uma ilusão para ele! Toda a sinalização tornou-se uma grande mentira que o priva de fazer uma viagem ao seu gosto, na velocidade que quer, na direção que quer e no tempo que quer! Ele está acreditando que não tem mais o dever de girar o volante conforme as curvas, nem controlar a velocidade, nem nada dessa “chatisse”. Então ele liga o som no último volume, abre uma garrafa de cerveja, acende um cigarro e, para o seu pavor, sai a dirigir sem nem mais olhar pra estrada, afinal, ela é só uma ilusão…

                Logo adiante, ainda mais apavorado e sem conseguir esboçar reação alguma, você começa a perceber que não foi só o seu amigo que foi convencido com aquela perigosa besteira. A maioria dos outros motoristas também! Alguns estão fazendo a curva ao contrário e rolando um perau, logo a frente tem um Fusca dando marcha-ré no meio da estrada, olhando no retrovisor você vê um Golf que vem a cerca 200 por hora… E não precisa andar mais muitos metros para começar a ver inúmeros acidentes, o caos instalado na estrada! Bem nessa hora Jarbas decide cruzar a pista contrária, descer o barranco e atalhar pelo rio que beira a estrada, “afinal o dia está quente” – disse ele…. Então você acorda, todo suado.

======================================

 Bom, eu não sonhei esse pesadelo, hehe, mas essa pequena história maluca ilustra como são trocados os valores na sociedade na qual vivemos. Deus nos fez com o propósito de viver uma amizade íntima com Ele, e para isto nos colocou numa estrada, como carros, que só têm a obrigação de seguir o caminho conforme ele foi desenhado. Porém alguém nos convenceu que a raça humana não tem direção; que não há um propósito definido para o homem. Alguém alegou que Deus e seu plano são ilusões, que tudo é relativo, cada um pensa como quer e faz o que lhe parece melhor, sem nem mais olhar para a “estrada”. Tudo começa com mentiras como essas.

Então, sem um caminho definido, o homem não tem dever algum; E sem cumprir os deveres, acontecem os acidentes. “Acidentes” como os que vemos todo dia: guerras, morte, atentados terroristas, pobreza, corrupção, fome, traição, liberdade sexual, AIDS, aborto, estupro, marginalidade…

Nós invertemos valores todos os dias. Quando fazemos o que nós queremos sem pensar no que é para o bem comum, no que é da vontade de Deus, estamos invertendo valores, sejam eles grandes ou pequenos. Nós somos como o Jarbas, ridiculamente iludidos com falsa liberdade, sem perceber as consequências às quais tal mentira nos leva. Quer uma solução? Uma chance de tirar seu carro do rio e voltar para a estrada? Que tal começar com 1ª Jo 1:9?

Marcos Reis – set 07

Anúncios

Comentários»

1. Daniel - 2 - outubro - 2007

Marcos… Só vou te dizer uma coisa: “Uma coisa”… E digo outra: “Outra”… Hehe, me deixou sem palavras cara, muito boa mesmo a tua “metáfora psicodélica”. Deu pra ver a cara do Jarbas, e o sorriso num rosto sem olhos… Dá pra fazer um filme hein?! =P

Essa semana mesmo estava conversando com uma amiga. Ela estava tendo uma discussão com um amigo dela, sobre Deus e a Verdade. As pessoas não podem entender um mundo com tantas desgraças, mas elas se esqueceram da sua própria culpa em tudo isso… Enfim, não tenho muito mais pra dizer, mas muito pra pensar. Até mais! Me deu vontade de atualizar o meu blog agora também… heheh… abraços!

2. Leonardo - 5 - outubro - 2007

Eai Marcos, entrei pra turma blogueira agora, sou novo nessa área.
Mas um blog como o teu me motiva a continuar com o meu. É muito bom ler textos como este, mesmo que ele nos incomode!!
Abração cara!!
Fica com Deus!!

3. Marcos Reis - 9 - outubro - 2007

>> Dani >> Vou te dizer nada….. nada! hehe! Mas as pessoas fazem que nem alguns alunos: quando tiram nota boa: “eu tirei!”; já quando a nota é ruim: “porcaria de professor idiota!”. Como vc disse, a gente “esquece” da nossa prórpia culpa nas coisas! E atualiza teu blog lá! E qdo atualizar me avisa! hehe!

>> Leonardo >> Valew pelo incentivo kra! Continua firme na blogaria, hehe! Flw!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: