jump to navigation

Submissão X Subordinação 20 - fevereiro - 2008

Posted by Marcos Reis in Autoria própria, O homem e Deus.
trackback

Ser submisso não é o mesmo que ser subordinado. “Submissão” vem de ‘missão’, enquanto “subordinação” vem de ‘ordem’.

Alguém submisso coloca voluntariamente os seus prórpios interesses, ou pode-se dizer “missões”, em segundo plano, a fim de contribuir na missão de quem, ou do que, ela escolheu para seguir. Não que para isso o indivíduo não possa mais fazer escolhas; ele prioriza a idéia que segue, e é feliz por participar. A palavra ‘submissão’ cada vez mais tem ganho uma conotação negativa, visto o caminhar à individualidade e à “liberdade” que a sociedade tem trilhado. Porém é um privilégio encontrar alguém ou algo que seja tão bom e tão convidativo a ser seguido.

Já uma pessoa subordinada recebe uma ordem e a cumpre, por obrigação, não por escolha. E ordem após ordem ela as cumpre, porém sem necessariamente entender ou querer contribuir para o alvo primário. É algo desgastante. Isso ocorre numa liderança imposta, numa enrascada da vida, enfim, em situações adversas.

Não há escolha além de seguir algo. Fomos criados para seguir, somente optamos entre ser submissos ou subordinados. Mesmo quando acreditamos só em nós mesmos, estamos subordinados à nossa própria vontade, às próprias emoções e aos próprios pensamentos.

Ao que ou a quem nos submetemos?
Ao que ou a quem somos subordinados?
Vale a pena submeter-se ao que temos escolhido?
Confundimos submissão e subordinação, nos desgastando por isso?

“Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.” Ap 3.20

Anúncios

Comentários»

1. rafael - 20 - fevereiro - 2008

Belo texto, nao tenho nada a acrescentar só achei bem importante o fato de vc ter deixado claro que chega uma hora pra tudo na vida onde cada um precisa escolher qual das duas opções escolher, não tem meio termo.

Abraço.

rafa

2. Dini - 20 - fevereiro - 2008

Boa. A situação em que somos subordinados e não temos opção é no trabalho, é pra ganhar dinheiro, sobreviver, enfim. Fora isso, nosso trabalho e envolvimento deve ser sempre por submissão e deve ser tratado e reconhecido como trabalho voluntário, submissão. Quando o trabalho voluntário é tratado como subordinação, gera desgaste e o líder acaba perdendo até a submissão e boa vontade do voluntário. Ficando assim, sozinho. E bem feito. hehehe

Abrazzo. Dini Sparrow

3. Carol - 25 - fevereiro - 2008

Oi Marquinhos!
gostei do post de hj! e vim acrescentar uma versãozinha 3-feminina que eu ouvi uma vez em um casamento! 😉 hehehe
dizer que alguém é submisso hoje, ou até que deve ser submisso, já virou praticamente um insulto. mas da mesma forma que você separa o “missão” de submissão e o “ordem” de subordinado eu lembro do “sub”, que vem antes do missão. Submisso é quem está embaixo da missão. É quem sustena a missão. Olhando por esse ângulo já não parece tão ‘insultoso’ assim! Fazer parte da missão de Cristo, colaborando com ela e cumprindo a nossa parte como sustentadores de um grande plano tem uma conotação beeeem melhor! E pras meninas fica a lembrança da submissão no casamento como sendo o privilégio de termos a missão que Deus nos deu intrelaçada com a missão do nosso (futuro) marido. Fazendo parte do processo e servindo como o suporte e sustento para que o plano de Deus se realize nas duas vidas.

Falei demais! se o Tiago ler isso ele vai rir de mim! hehehe ele já me ouviu falando isso umas mil vezes! =)

abraço, amigo! saudades de acampamentos e temporadas! manda um beijo pra Mogui!!

Carol

4. Carol - 25 - fevereiro - 2008

aiii
eu não sabia q não dava pra por os “underlines” e afins. foi mals!

5. Marcos Reis - 25 - fevereiro - 2008

Dae pessoal! É mto legal qdo um post tem comentários destacando diferentes facetas do mesmo assunto! Obrigado Rafa, Dini e Carol por contribuirem e enriquecerem o post com suas observações! Quem me dera ter mais leitores como vc’s! Hehe! Abração!

Obs.: Carol, tomei a liberdade de consertar a formatação de seu comentário, acho que era assim q vc queria, neh?!

6. Dini - 3 - março - 2008

Cara, voltei com o blog, dá uma olhada, abrazzo!

7. Olavo - 7 - março - 2008

Alô Marcos. Muito legal o Quiroblog. Descobri que serei seu cliente (já vai pensando no desconto que você vai me dar, hehehe). Andei sentindo umas dores no ano passado, cheguei a consultar dois ortopedistas. O diagnóstico é que estou ficando velho mesmo, hehehe (alterações degenerativas da coluna vertebral – que é um diagnóstico HORRÍVEL para um leigo ouvir, mas que depois descobri ser natural em qualquer pessoa com mais de 30 anos). Parabéns pelo Quiroblog e que bom que a quiropraxia finalmente está chegando no Brasil. Abraços, Olavo.

8. Marcos Reis - 8 - março - 2008

Oi Olavo!

Muito legal o seu interesse, pode deixar que pra pastor vai ter um descontinho em troca de alguns benefícios no céu, hehehe!

Sim, alterações degenerativas na coluna vertebral são bastante comuns de aparecer com o passar do tempo. Porém “envelhecimento” não é sinônimo de “adoecimento”. Qualquer degeneração pode e deve ser retardada com algumas medidas saudáveis em relação à vícios posturais, alimentação e exercícios, além de acompanhamento com profissional da saúde, sendo o quiropraxista altamente indicado no que se trata de degenerações articulares.

Qualquer dia desses podemos discutir melhor o seu caso, hehe!

Abraço!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: