jump to navigation

Como? 30 - janeiro - 2009

Posted by Marcos Reis in Blogs de amigos, Citações, O homem e Deus, Opinião, Política.
1 comment so far

imagem

“O estilhaço destruiu a janela, tudo se quebrou e ficou chamuscado.

Por que eles quebraram minhas coisas e quebraram meus brinquedos? Eu perdi muitas coisas, nós mandamos tudo pro lixo, ficamos sem roupa também. Tivemos que pedir aos vizinhos emprestada. A nossa comida cheira a gasolina, nós não queremos nos livrar de nossas roupas mesmo que cheirem a gasolina. Somente não cheiramos nossas roupas! Deixe os israelenses virem e cheirá-las e ver nossa casa. Nós nunca conseguimos tomar banho ou fazer qualquer coisa em casa. O cheiro da gasolina nos sufoca até a morte! Venha e veja minhas roupas… Cheire elas… como gasolina. O que podemos fazer?

Eu nem pude aproveitar o óculos de sol que meu pai me deu. Nem os braceletes e colares que minha mãe me deu. Nem meus anéis. Como eu posso aproveitar os meus pertences? Como? Aproveitar nossas coisas com isso?!

No caminho para a escola escutei tiros. Fiquei assustada com o tiroteio, comecei a tremer toda…”

Relato de uma menininha (foto) sobre a situação que ela vive na Palestina. É um trecho integrante de um documentário que se propõe a demonstrar o lado da guerra que é ocultado pela mídia. Tem 1h:30m de duração. (se vc “perder” o BBB e uma parte da novela, dá pra assistir tranquilamente…)

Enfim, não sei ao certo o que argumentar, fazer ou sentir diante disso tudo. Me sinto mesquinho, pequeno e meus míseros problemas são reduzidos a quase nada. Por hora, lamento em meu coração e lembro dessas pessoas em minhas orações… E me comprometo a divulgar a necessidade da consciência que devemos tomar em relação a tais circunstâncias, tão distantes da nossa realidade burguesa.

Concluo que… (nos comentários)

Mais um pouco:

“As pessoas não têm chance de ter seu próprio celular, não tem chance de pedir ajuda e isso é distante do que a mídia nos mostra. Você é um dos poucos jornalistas que sequer viram isso. Jornalistas americanos e europeus não vêm aqui pois tem medo ou é muito difícil virem.”

Thomas Getman, Diretor da Visão Mundial em Jerusalém.

“Uma das coisas que nos foram ditas em Gaza por um psicólogo palestino muito respeitado, que havia acabado de concluir um estudo com mil crianças palestinas, foi que muitas dessas crianças não tem mais vontade de viver. Que elas estão desumanizadas, muito afetadas por verem seus pais, particularmente, serem surrados por soldados das Forças de Defesa de Israel. Essa condição psicológica é uma das dimensões do conflito que não é completamente entendida.”

Richard Falk, UN Human Rights Fact-finding Commission.

Post inspirado no blog do Gui, de Trêsco >> Verbalizando

.

Ficou um climão 12 - setembro - 2008

Posted by Marcos Reis in Blogs de amigos, Humor, Opinião.
5 comments

clock-7100

Uns reclamam de frio, outros de calor e, outros ainda, reclamam dos dois! Alguns não gostam do tempo seco, outros não gostam da umidade, e mais uma vez há quem desgoste ambos.

Acho que agora, no fim do inverno, a natureza encheu o saco de tanta gente reclmando e tentou agradar todo mundo num dia só… Deu no que deu, e ainda assim ninguém ficou satisfeito! E mais uma vez a natureza fracassou em agradar os frágeis seres humanos…

Comentário em PMOC adaptado para post.

Quase 24 - outubro - 2007

Posted by Marcos Reis in Autoria própria, Blogs de amigos, O homem e Deus.
add a comment

 

quase

“Essa letra me faz lembrar de uma palavra engraçada: “quase” (é engraçado ficar repetindo ela um monte de vezes e perceber como ela tem um som feio, hehe!). Quantas vezes a gente se conforma com essa palavra. Porém não percebemos que ‘quase’ e ‘nada’ são praticamente a mesma coisa. A diferença entre elas é que o ‘nada’ dá menos trabalho. De que vale a bola que quase entrou no gol? Quem lembra do time que quase foi campeão? De que vale a nota quase na média, quase não engravidar, quase não morrer, quase crer em Deus? Ironicamente a gente tenta se conformar com o quase completo, com o quase amor, o quase perdão, mas no fundo isso não nos satisfaz. Precisamos do que é pleno, e plenitude só no que é eterno.”

Um comentário meu sobre o post “Irônico” , no blog do Lukinhas

Quando paro para ler blogs é comum a leitura me fazer pensar e, consequentemente, escrever. Por vezes acabo exagerando um pouco e o que era pra ser apenas um comentário quase se torna um post. Portanto de vez em quando pretendo postar algo aqui inspirado em posts dos meus amigos, além de comentá-los de forma mais moderada, hehe!