jump to navigation

Arte pela areia 21 - abril - 2009

Posted by Marcos Reis in Citações, Livros, O homem e Deus.
add a comment

200545178-001

“Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra” (Jo 8.7).”

Ele, então, voltou à atividade. Aquele que havia desenhado as galáxias com o mesmo dedo, agachou-se como um aluno, sua língua talvez dobrando-se no canto da boca, escrevendo mais uma vez aquelas palavras pelas quais daríamos um tesouro para saber quais foram, mas que nunca saberemos.

Rabiscando na Areia

No meio de uma turba de homens loucos, ela estava assustada e só
Quando vozes cheias de ódio gritavam que ela deveria agora
ser apedrejada
Mas no ar ao seu redor pendurava-se um vasto e
inexprimível amor
Quem sabe no meio de qual lição brilhante Ele estava?
De início Ele encarou a fúria do desprezo farisaico
Mas então se inclinou e de pronto tornou-se o olho calmo
da tempestade
Esta foi sua resposta silenciosa à exigência obscura e cruel
Toda uma vida em um momento, enquanto Ele rabiscava
na areia
Foi silêncio. Foi música
Foi arte. Foi absurdo
Ele inclinou-se e gritou bem alto
Sem dizer sequer uma única palavra
O mesmo dedo da mão forte
Que havia escrito os Dez Mandamentos

Fonte: “Cristo e a Criatividade“, Michael Card.

Anúncios

A Cabana – uma "ficção real" 12 - fevereiro - 2009

Posted by Marcos Reis in Autoria própria, Livros, O homem e Deus.
16 comments

a_cabana

 

 

 

 

 

A Cabana: uma ficção onde todos os personagens são reais.

 

 

 

 

 

Esta “estória” me fez bem. Profundamente bem. Enriqueceu a minha maneira de enxergar a Trindade. Me fez valorizar mais e pedir mais a ação de “Sarayu” na minha vida. Me levou a confiar mais em Deus, e achar conforto em meio a confusão. Perceber que até mesmo existe beleza na confusão de nossas vidas.

Me despertou para utilizar minha criatividade no tempo presente, e não para imaginar o futuro (geralmente ameaçador nas minhas ilusões mais recentes). Me alertou para julgar menos. Reafirmei meus novos conceitos de hierarquia e submissão. Aquela questão da “prontidão X expectativas” nos relacionamentos também é algo revolucionário pra mim. As 47 vezes menos uma, o papel do perdão…

O conto encheu meus olhos de lágrimas em alguns momentos. Em outros não contive o riso expontâneo e “solitário”. Os períodos de leitura deste livro sempre trouxeram paz pro meu dia, talvez por destacar a essência do amor de Deus por nós e em nós. Me identifiquei muito com Mack em várias partes do enredo e acredito que todo mundo que a lê é capaz de se identificar com ele em algum aspecto.

Enfim, uma ótima leitura! Agradeço ao Maffei pelo empréstimo. Pretendo ler de novo, mas daí vou comprar o meu, hehe!

Cansaço desesperador 14 - fevereiro - 2008

Posted by Marcos Reis in Citações, Livros, O homem e Deus.
5 comments

G._K._Chesterton

 

 

“O desespero não está em cansar-se do sofrimento, mas em cansar-se da alegria”.

Trecho de “Ortodoxia“, obra prima centenária de G. K. Chesterton

O túnel da religião 19 - setembro - 2007

Posted by Marcos Reis in Citações, Livros, O homem e Deus.
3 comments

.
74419903——“O túnel da religião. Não existe outro mais sombrio. Suas cavernas são muitas e seus abismos profundos. Seu desagradável mau cheiro subterrâneo é produto de boas intenções. Seu labirinto de canais está repleto de desorientados. Suas trilhas estão cobertas de odres de vinho e bebida derramada.
——Você não desejaria levar uma fé incipiente para este túnel. As mentes jovens e inquisitivas logo se estragam na escuridão mortiça. As novas perspectivas são ignoradas a fim de proteger as frágeis tradições. A originalidade é desencorajada. As prioridades desconsideradas.
——Cristo só teve palavras fortes de censura para os que habitam nas cavernas. Ele os chamou de “hipócritas”. Atores sem Deus. Construtores de barreiras. Juízes inflexíveis. Podadores sem autorização. Detalhistas inúteis. “Guias cegos”. “Sepulcros caiados”. “Víboras”. Bang! Bang! Bang! Jesus não tinha tempo para os que especializavam em fazer da religião um deus de guerra, e da fé uma corrida pedestre. Não lhes dava qualquer oportunidade.” – Mt 23

Max Lucado – Seu nome é Salvador (p. 81,82)

O falso eu 22 - agosto - 2007

Posted by Marcos Reis in Citações, Livros, O homem e Deus.
add a comment

.
falseO que você usa para ser bem visto pelas pessoas? Você tem medo de perder tal coisa? Qual sua estratégia para sentir-se seguro, amado, confortável, respeitado? E se Deus o impossibilitasse de usa-la?

“Por que Deus faria algo tão “cruel”? (…) Jesus nos advertiu dizendo que “qualquer que quiser salvar a sua vida perdê-la-á”; (Lc 9.24). Cristo não está usando aqui a palavra grega bios; Ele não está falando sobre a nossa vida física. Essa passagem não fala sobre tentar salvar a própria “pele” esquivando-se do martírio, ou algo semelhante. A palavra que Cristo usa para “vida” é psique – a palavra utilizada como uma referência à nossa alma, o mais íntimo do nosso ser, o nosso coração. Ele diz que as coisas que fazemos para salvar a nossa psique, o nosso ser, aqueles planos que fazemos para salvar e proteger a nossa vida interior – essas são as coisas que realmente nos destroem. O falso eu (…) representa um escudo contra a dor e nos garante um pouco de amor e admiração. Mas o falso eu é uma mentira, e todo plano foi construído sobre uma simulação. Ele é uma armadilha mortal. Deus nos ama demais para nos deixar deste modo. Portanto, Ele frustra os nossos planos de formas bastante diferentes.”

Coração Selvagem – John Eldredge
Cap. 6, p.105
.


How many helps thou giv’st to those would learn!
To some sore pain, to others a sinking heart;
To some a weariness worse than any smart;
To some a haunting, fearing, blind concern;
Madness to some; to some the shaking dart
Of hideous death still following as they turn;
To some a hunger that will not depart.

To some thou giv’st a deep unrest–a scorn
Of all they are or see upon the earth;
A gaze, at dusky night and clearing morn,
As on a land of emptiness and dearth;
To some a bitter sorrow; to some the sting
Of love misprized–of sick abandoning;
To some a frozen heart, oh, worse than anything!

The messengers of Satan think to mar,
But make–driving the soul from false to feal–
To thee, the reconciler, the one real,
In whom alone the would be and the is are met.

The Diary of an Old Soul – George MacDonald 
Clique aqui para ler a tradução do poema


Novo post no QuiroBlog – “Mitos e fatos sobre Quiropraxia” – Confira!


Coração Selvagem 8 - agosto - 2007

Posted by Marcos Reis in Citações, Livros, O homem e Deus.
15 comments

.

Coração Selvagem - John Eldredge

O livro Coração Selvagem, de John Eldredge, busca responder questões masculinas como: por que há frustração das mulheres e dos próprios homens com o comportamento e os valores masculinos vigentes na sociedade? Porque os homens são “assim, e não assado”? Entre essas e outras questões John vai fundo e busca algumas respostas e indícios no passado dos homens e no seu desenvolvimento. Sabiamente o autor descreve o masculino, o feminino e a relação entre estes. Uma ótima leitura tanto para homens (que se identificam com várias questões), quanto para mulheres (que têm a oportunidade de aprender um pouco mais da alma masculina). Seguem abaixo pequenos trechos do livro:

“Existem três desejos que encontro escritos no fundo do meu coração, e agora sei que não posso mais desconsiderá-los. Eles são fundamentais em relação a quem e o que sou, e ao que desejo ser. Olho para a infância, pesquiso as páginas da literatura, ouço a muitos, muitos homens, e estou convicto que estes desejos são universais, um indício da própria masculinidade. Eles podem estar deslocados, esquecidos ou mal direcionados, mas no coração de cada homem está um desejo ardente por uma batalha para lutar, uma aventura para viver e uma bela mulher para resgatar. Pense nas histórias preferidas dos homens, nas coisas que fazem em seu tempo livre, e especialmente nas aspirações dos meninos pequenos, e veja se não estou certo nisto.”

“Deus agora tem um Inimigo… e nós também. O homem não nasceu dentro de um seriado cômico ou de uma novela, ele nasceu em um mundo em guerra.”

“Eva é oferecida a Adão como seu ezer kenegdo – ou como em muitas traduções, sua “companheira” ou “ajudadora”. Não parece, não é mesmo? Robert Alter diz que esta é “uma palavra notoriamente difícil de traduzir”. Significa algo mais poderoso do que apenas “ajudadora”; significa “salva-vidas”. Em outras passagens das Escrituras, esta expressão só é usada para referir-se a Deus quando precisamos desesperadamente que Ele nos ajude. (…) Eva é fonte de vida; é aliada de Adão. Ambos estão autorizados para viver a aventura juntos. Ambos serão necessários para sustentar a vida, e precisarão lutar juntos.”

“Como Lionel Tiger relata em seu livro, The Decline of Males, os meninos são diagnosticados de três a quatro vezes mais do que as meninas como portadores de Desordens de Deficiência de Atenção (DDA). No entanto talvez eles não estejam doentes; talvez como Tiger diz: “Isto pode simplesmente significar que eles gostem de grandes movimentos musculares e ações assertivas… Os meninos como um todo parecem preferir atividades relativamente turbulentas e móveis, ao invés do comportamento sedado e fisicamente restrito que os sistemas escolares premiam, aos quais as meninas se mostram mais inclinadas por estarem mais de acordo com a sua própria natureza.”