jump to navigation

A Razão e a Paixão 3 - dezembro - 2008

Posted by Marcos Reis in Citações, Música, O homem e Deus, Shows.
1 comment so far

razao_emocao

Domingo passado assití à 2ª seção do espetáculo “Beatles – a razão e a paixão”, apresentado pela Orquestra Municipal de Sopros e o Coral Municipal de Caxias do Sul com a participação da Cia Municipal de Dança. Para mim foi como um bálsamo para a alma doente e apertada nesse fim de ano; os artistas foram pacificadores para minha alma (conforme poema abaixo). Então gostaria de compartilhar com você o poema que serviu de inspiração para a produção do show, aí vai!

Vossa alma é freqüentemente um campo de batalha onde vossa razão e vosso juízo combatem contra vossa paixão e vosso apetite.

Pudesse eu ser o pacificador de vossa alma, transformando a discórdia e a rivalidade entre vossos elementos em união e harmonia.

Mas como poderei fazê-lo, a menos que vós próprios sejais também pacificadores, mais ainda, enamorados de todos vossos elementos?

Vossa razão e vossa paixão são o leme e as velas de vossa alma navegante.

Se vossas velas ou vosso leme se quebram, só podereis ficar derivando ou permanecer imóveis no meio do mar.

Pois a razão, reinando sozinha, restringe todo impulso; e a paixão, deixada a si, é um fogo que arde até sua própria destruição.

Portanto, que vossa alma eleve vossa razão à altura de vossa paixão, para que ela possa cantar;

E que dirija vossa paixão a passo com a razão, para que ela possa viver numa ressurreição cotidiana e, tal a fênix, renascer de suas próprias cinzas.

Gostaria que tratásseis vosso juízo e vosso apetite como trataríeis dois hóspedes amados em vossa casa.

Certamente não honraríeis a um hóspede mais do que ao outro; pois quem procura tratar melhor a um dos dois, perde o amor e a confiança de ambos.

Entre colinas, quando vos sentardes à sombra fresca dos álamos brancos, partilhando da paz e da serenidade dos campos e dos prados distantes, então que vosso coração diga em silêncio: “Deus repousa na Razão”.

E quando bramir a tempestade, e o vento poderoso sacudir a floresta, e o trovão e o relâmpago proclamarem a majestade do céu, então que vosso coração diga com temor e respeito: “Deus age na Paixão”.

E já que sois um sopro na esfera de Deus e uma folha na floresta de Deus, também devereis descansar na razão e agir na paixão.

Extraído de O Profeta – A Razão e a Paixão – Khalil Gibran (grifos do blogueiro)

Obs.: Sugiro que o espetáculo seja levado para SC, com verbas municipais. A arte irá fazer bem para os catarinenses após tamanha tragédia, além de ser um belo gesto de apoio de Caxias àquela gente.

A vida em Pouca Vogal 23 - novembro - 2008

Posted by Marcos Reis in Autoria própria, Citações, Música, Shows.
4 comments

sb10067080aw-001

Hoje fui assitir o show do Pouca Vogal no teatro da UCS. Feeling total, Gessinger e Leindecker sintonizados em belos arranjos para velhas e novas músicas.

Silêncio, o que seria da música sem ele?
Deus fala ao silenciar, aconteceu comigo, semana passada.
E silêncio é algo precioso em nosso mundo barulhento.
Exagero estraga.
Quero mais silêncio…
Por pior que ele possa parecer.

Abaixo seguem alguns versos que serviram pra mim. Fim de ano, fim de facul, fim de namoro, fim de semana… Desculpe me delongar, mas caiu como luva, e sem pressão (Breve).

A Força do Silêncio
Humberto Gessinger e Duca Leindecker

Pra que tanta inteligência?
Pra que tanta emoção?
Qualquer coisa em excesso faz sucesso meu irmão
Quanta gente com certeza
Tanta gente sem noção
Em excesso até o fracasso faz sucesso por aí
E eu tenho fé na força do silêncio

Se as cores vão berrando no sol ensurdecedor
Fecho os olhos… Outro mundo
Vou morar no interior
Transbordou a mesa ao lado
Um tsunami arrasador
Fecho os olhos… Outro mundo
Vou morar no interior
E eu tenho fé na força do silêncio…

Além da máscara82750757
Gessinger

agora que a terra é redonda
e o centro do universo é outro lugar
é hora de rever os planos
o mundo não é plano, não pára de girar
agora que o tempo é relativo
não há tempo perdido, não há tempo a perder

num piscar de olhos tudo se transforma
tá vendo? já passou!
mas ao mesmo tempo
fica o sentimento
de um mundo sempre igual
igual ao que já era
de onde menos se espera
dali mesmo é que não vem

agora que tudo está exposto
a máscara e o rosto trocam de lugar
tô fora se esse é o caminho
se a vida é um filme, eu não conheço diretor
tô fora, sigo o meu caminho
às vezes tô sozinho, quase sempre tô em paz

num piscar de olhos tudo se transforma
tá vendo? já passou!
mas ao mesmo tempo
esse mundo em movimento
parece não mudar
é igual ao que já era
de onde menos se espera
dali mesmo é que não vem

visão de raio-x
o x dessa questão
é ver além da máscara
além do que é sabido, além do que é sentido
ver além da máscara

Tententender
Humberto Gessinger e Duca Leindecker


se eu disser que vi rastejar
a sombra do avião
feito cobra no chão
tent’entender minha alegria :
a sombra mostrou o que a luz escondia

o jogo acabou de repente
o céu desabou sobre a gente
tent’entender : quero abrigo
e não consigo ser mais direto

Na paz e na pressão
Leindecker

um pássaro na mão82020981
um pássaro no ar
um pássaro que vem
um pássaro que vai voltar
pro seu lugar

e pelo mar do sul
azul imensidão
bem longe daqui
livre de toda pressão
da minha mão

O vôo do besouro
Humberto Gessinger


fala sério, o que (é) que tem
quem tem medo de enfrentar
a lembrança sempre vem
numa noite sem luar

Depois da curva
Humberto Gessinger e Duca Leindecker

amanhã, talvez
esse vendaval faça algum sentido
dá pra se dizer
qualquer coisa sobre todo mundo

por hoje é só
vou deixar passar a ventania
talvez amanhã
vento, vela e velocidade

mar azul
céu azul sem nuvens
logo ali… depois da curva
ali, logo ali, ali… depois da curva

amanhã talvez
esse temporal saia do caminho
dá pra escrever
o papel aceita toda qualquer coisa

82988449por hoje é só
vou deixar passar a tempestade
talvez amanhã
água pura e toda verdade

mar azul
céu azul sem nuvens
logo ali… depois da curva
ali, logo ali, ali… depois da curva

ali, logo ali, ali… depois da curva
ali, logo ali
eu vi, eu vim, venci a curva